quinta-feira, 27 de junho de 2013

Gosto desse...


E a menina - agora cansada - perdeu o costume de sempre guardar tudo pra ela, e assim foi falando, falando, falando... Até que começa a esquecer só o que não queria esquecer e a lembrar tudo aquilo que não queria lembrar. E no final o acontecimento recente já não significava mais felicidade, só novidade; e o passado - tão guardado e engolido a força - só foi fazendo aquele nó na garganta dar mais voltas e voltas, até que não conseguia mais falar. Até não saber quem realmente era.

Agora a menina só escreve, só espera, só anseia pelo seu grande momento e indaga por entrelinhas. Por que com ela as coisas também não podiam ser mais certas, simples e bonitas? Por que no meio de tanto desapego, meu Deus, havia tanto apego?


Samanta Rietveld

On March 31 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.